Mais do blog:

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Resenha: Marcelo Jeneci - Guaia


Marcelo Jeneci surgiu com tudo no cenário mainstream brasileiro. Com anos de experiência de trabalho com gente como Chico César e Arnaldo Antunes, o músico lançou o primeiro álbum da carreira em 2010 e foi muito bem, mas foi o segundo, "De Graça" (2013), que ele realmente furou a bolha e atingiu bastante gente. Esse trabalho foi eleito o 15º Melhor Disco de 2013 aqui no blog. Foram seis anos de espera até o lançamento de "Guaia", terceiro trabalho da carreira solo.

Mas se você espera algo igual com o que ele fez nos dois primeiros discos, pode ir tirando a ansiedade do lugar. Tem algumas coisas semelhantes, mas "Guaia" parte para outra estética diferente e mais conectada com outras coisas, como meio-ambiente e família. "Canto Inicial: Ikashawhu / Tribo Yawanawa / Emergencial" mostra bem essa mudança ao iniciar com o canto da tribo acreana Yawanawa.

Veja também:
Resenha: Girl Band - The Talkies
Resenha: Wilco - Ode to Joy
Resenha: Lô Borges - Rio da Lua
Resenha: Big Thief - Two Hands
Resenha: Nick Cave and The Bad Seeds - Ghosteen
Resenha: Angel Olsen - All Mirrors


Talvez "Oxente"e "Vem Vem" satisfaçam os fãs mais antigos, já que podemos ouvir a sanfona de Jeneci mandando ver na primeira, enquanto a segunda é bem animadinha e serve para agradar os fãs hipsters da Vila Madelena. E "O Seu Amor Sou Eu" é uma balada simples e até eficiente dentro desse trabalho, mas nada além disso.

Uma das boas é "Melodia da Noite", essa usa vários elementos para construir uma faixa mais pesada do que as anteriores e com boas chances de conexão com várias pessoas, já "Aí Sim" é dessas bem animadinhas e só. A chave muda completamente em "Redenção", quando o trabalho ganha uma mistura de um tom mais sombrio com música gospel.

A profunda "Saudade do Meu Pai" é dessas que vai emocionar qualquer um, já que é um relato muito profundo e pessoal de um relacionamento que não existe mais. O final ainda reserva espaço para a fraca "Palavra Amor" e a quase instrumental "Ritos" (ouçam que vocês vão entender).

Após tantos anos de espera, Marcelo Jeneci lançou um disco muito abaixo do esperado. Ele quis explorar novas sonoridades, mas apenas gerou um trabalho maçante e pouco convidativo a ser ouvido. Uma pena.

Tracklist:

1 - "Canto Inicial: Ikashawhu / Tribo Yawanawa / Emergencial"
2 - "Oxente"
3 - "Vem Vem" (feat. Maya)
4 - "O Seu Amor Sou Eu"
5 - "Melodia da Noite"
6 - "Aí Sim"
7 - "Redenção"
8 - "Saudade do Meu Pai"
9 - "Palavra Amor"
10 - "Ritos"

Avaliação: ruim



Continue no blog:



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!