Mais do blog:

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Resenha: Cigarettes After Sex - Cry


O Cigarettes After Sex surgiu como muitas bandas novatas: muita gente acredita que os texanos são a salvação do rock. O álbum de estreia (clique aqui para ver a resenha) agradou bastante gente, mas não ao ponto de mudar a rotação da Terra e transformar o Super-Homem em comunista. Apenas dois anos depois do lançamento do disco cheio de estreia, eles lançaram "Cry" nos formatos físico e digital.

"Don't Let Me Go" abre o trabalho de maneira suave e com um arranjo muito bonito, mostrando logo de cara uma das boas qualidades do grupo. Mas quando surge a segunda, "Kiss It Off Me", aparece o grande problema do álbum: parece que você está ouvindo a mesma música o tempo inteiro. Isso é um problema, principalmente para manter o ouvinte focado. Mesmo as letras de temática simples não ajudam a manter o foco por muito tempo.

Veja também:
Resenha: Marcelo Jeneci - Guaia
Resenha: Girl Band - The Talkies
Resenha: Wilco - Ode to Joy
Resenha: Lô Borges - Rio da Lua
Resenha: Big Thief - Two Hands
Resenha: Nick Cave and The Bad Seeds - Ghosteen


Mas nem mesmo algo menos elaborado é capaz de segurar um álbum, ao contrário. "Heavenly" surge e é tão maçante que os quase cinco minutos duraram umas boas duas horas. E talvez isso tenha acontecido por começar logo na sequência a sonolenta "You're the Only Good Thing In My Life", que não funciona como "Touch" -- essa, sim, uma faixa melhor do que as anteriores.

O álbum retorna para a chatice em "Hentai", uma balada romântica com tons melancólicos que é muito sonolenta. A faixa-título chega e passa tão despercebida que é possível nem reparar na existência dela, já que é igual a todas as outras. O fim traz a chata "Falling In Love" e "Pure", que não acrescenta em nada no álbum.

O Cigarettes After Sex conseguiu piorar entre um disco e outro. Se o primeiro é minimamente bom e precisava apenas de alguns ajustes, o segundo é maçante, muito chato e pouco convidativo para ouvir mais do que uma vez. Ao parecer ouvir a mesma música do início ao fim, o álbum acaba deixando a impressão que a banda só sabe fazer um tipo de música. E isso é uma péssima notícia.


Tracklist:

1 - "Don't Let Me Go"
2 - "Kiss It Off Me"
3 - "Heavenly"
4 - "You're the Only Good Thing In My Life"
5 - "Touch"
6 - "Hentai"
7 - "Cry"
8 - "Falling In Love"
9 - "Pure"

Avaliação: ruim



Continue no blog:


Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!