Mais do blog:

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Resenha: Brittany Howard - Jaime


Nos últimos anos, Brittany Howard ficou conhecida como vocalista do ótimo Alabama Shakes. A banda do Alabama encantou o mundo com "Boys & Girls" (2012) e "Sound & Color" (2015), e seus shows bem empolgantes. A banda está parada no momento, o que abriu a possibilidade da cantora lançar o primeiro disco solo da carreira. "Jaime" foi disponibilizado em vários formatos no último dia 20 de setembro.

Já na banda é possível perceber todas as referências da cantora, ainda mais claras nesse trabalho. A primeira faixa do álbum mostra como Howard gosta da guitarra para acentuar as melodias, mesmo em uma canção cheia de efeitos e bem dançante. Mas a segunda mostra como aquele pedaço dos Estados Unidos ainda é feito de pessoas como muita fé. "He Loves Me" aborda como não importa o que ela faça ou diga, Deus ainda a amará -- um sample de um trecho de uma pregação foi colocada na faixa.

Veja também:
Resenha: Tinariwen - Amadjar
Resenha: Teago Oliveira - Boa Sorte
Resenha: Whitney - Forever Turned Around
Resenha: Pixies - Beneath the Eyrie
Resenha: Ana Frango Elétrico - Little Electric Chicken Heart
Resenha: Céu - APKÁ!


O tom mais pessoal aparece em "Georgia", quando a vocalista escreve uma música da perspectiva de ser criança para a pessoa que virou hoje. Melancólica e existencial, é uma das mais bonitas do trabalho. Em "Stay High", ela consegue misturar gêneros musicais sem o menor problema. A quarta faixa tem uma pegada meio pop com gospel para falar sobre relacionamentos, digamos.

Já "Tomorrow" se apresenta como um R&B mais moderno e mais direto para passar uma mensagem sobre aproveitar o amanhã, enquanto "Short and Sweet" fala sobre o início de um relacionamento em que a expectativa por não dar certo é sempre alta. Até que você relaxa e passa a aproveitar mais as coisas, diferente de "13th Century Metal" -- uma poesia feita no momento em que ela se tocou que Donald Trump foi eleito presidente no mesmo ano da morte de Prince.

E falando na pessoa mais famosa de Minnesota, "Baby" soa muito como um filho perdido de Prince, um lado B de alguma faixa de algum disco. Voltando ao realismo da vida da cantora, "Goat Head" é outra canção que usa um momento da infância dela como base para um desabafo profundo sobre si mesma.

A parte final abre com "Presence", canção sobre valorizar quem está ao seu lado em todos os momentos, e fecha com "Run to Me" que, além de também soar muito Prince, é a mais experimental de todo álbum.

Brittany Howard amadureceu muito musicalmente nos últimos anos. Esse disco solo prova bem isso, uma vez em que ela se aventura por melodias não experimentadas no Alabama Shakes. Se é uma das melhores estreias do ano? Sem dúvida alguma.


Tracklist:

1 - "History Repeats"
2 - "He Loves Me"
3 - "Georgia"
4 - "Stay High"
5 - "Tomorrow"
6 - "Short and Sweet"
7 - "13th Century Metal"
8 - "Baby"
9 - "Goat Head"
10 - "Presence"
11 - "Run to Me"

Avaliação: ótimo



Continue no blog:


Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!