Mais do blog:

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Resenha: Teago Oliveira - Boa Sorte


Das novas bandas nacionais, a Maglore é uma das melhores. Com seus méritos pelo repertório simples e direto, se firmou em um cenário bastante promissor e com bom espaço para crescer. E por falar em crescimento, o vocalista Teago Oliveira disponibilizou recentemente o primeiro álbum da carreira solo. "Boa Sorte" está disponível em todas as plataformas digitais.

"Bora" abre o álbum com uma letra que pode ser uma síntese dessa nova geração: com medo nenhum de usar as referências de uma vida inteira para fazer a música que deseja. Sem se encaixar em nenhum gênero, o trabalho caminha pela balada indie-jovem-melancólica "Oh, Meu Bem". Vai se encaixar bem com o perfil de público da banda principal.

Veja também:
Resenha: Whitney - Forever Turned Around
Resenha: Pixies - Beneath the Eyrie
Resenha: Ana Frango Elétrico - Little Electric Chicken Heart
Resenha: Céu - APKÁ!
Resenha: Iggy Pop - Free
Resenha: Raphael Saadiq - Jimmy Lee



A suave "Longe da Bahia" traz aquela saudade de um lugar que Dorival Caymmi fez muito bem no início de sua carreira, enquanto "Azul, Amarelo" é o tipo de música festeira que fará bastante sucesso em qualquer luau feito por estudantes da Humanas da USP. Mas a partir de "Superstição", o compositor começa o processo de "los hermanização" do repertório. Tranquilamente a quinta faixa do álbum poderia estar ou no disco solo de Marcelo Camelo, ou ser um single perdido do grupo.

O arranjo de "Sombras no Verão" chama bastante atenção, principalmente na ponte instrumental que começa pouco antes dos dois minutos. Tem um capricho cada vez mais comum na música atual brasileira, uma ótima notícia. E a melhor faixa do álbum aparece em "Corações em Fúria (Meu Querido Belchior)", essa muito a cara de Teago e do que ele pode fazer daqui para frente.

"Tudo Pode Ser" soa aquele tipo de música feita para pensar no mar e em um caso durante as férias de verão, "Movimento das Horas" é aquele ar mais dramático da vida. A inofensiva "Metafísica" encaminha o ouvinte para a parte final, em que "Últimas Notícias" fecha o álbum.

Teago Oliveira tem um grande futuro pela frente, e esse disco solo mostra bem isso. Tomara que ele pare com essa "los hermanização" do repertório que dominou todos os músicos e bandas nos últimos anos. É um pé no saco. De resto, o trabalho tem um bom fio condutor para agradar.


Tracklist:

1 - "Bora"
2 - "Oh, Meu Bem"
3 - "Longe da Bahia"
4 - "Azul, Amarelo"
5 - "Superstição"
6 - "Sombras no Verão"
7 - "Corações em Fúria (Meu Querido Belchior)"
8 - "Tudo Pode Ser"
9 - "Movimento das Horas"
10 - "Metafísica"
11 - "Últimas Notícias"

Avaliação: bom



Continue no blog:


Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!