Mais do blog:

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Resenha: Ana Frango Elétrico - Little Electric Chicken Heart


O primeiro disco cheio lançado na carreira da cantora Ana Frango Elétrico foi "Mormaço Queima" (2018), momento em que apostou em um tipo de pop mais estranho e pouco palpável para qualquer público. A produção não parou e rapidamente veio o segundo álbum neste ano, chamado "Little Electric Chicken Heart", disponível em todas as plataformas digitais.

O álbum é uma mistura de gênero, cores e sabores, algo que, feito de maneira organizada, acaba sendo um trunfo. Como é o caso aqui. "Saudade" é um samba bem dos anos 1960 em que há uma riqueza muito grande no preenchimento do espaço com um vocal de apoio forte e um arranjo de metais que te coloca no clima. Depois vem o pop de "Promessa e previsões", essa de andamento bem simples e também rico musicalmente.

Veja também:
Resenha: Céu - APKÁ!
Resenha: Iggy Pop - Free
Resenha: Raphael Saadiq - Jimmy Lee
Resenha: Ride - This is Not a Safe Place
Resenha: Ty Segall - First Taste
Resenha: Sleater-Kinney - The Center Won't Hold


A vocalista mostra uma grande variação logo de cara, corroborada em "Se no cinema". A terceira canção do disco tem ritmos caribenhos como base, mas também é mistura em um andamento mais lento, depois acelera para um samba nem animado e serve para curtir em qualquer lugar -- seja na rua, na fazenda ou em uma casinha de sapê.

"Tem certeza?" é o tipo de música animada mais moderna que se encaixa no gosto dos hipsters da Vila Madelena para tocar durante os blocos de carnaval por lá, já a balada "Chocolate" é mais melancólica e ganha muito no capricho do arranjo que é, definitivamente, a melhor coisa desse álbum. O interlúdio "Vinheta" serve para encaminhar o ouvinte para a parte final.

A história de "Torturadores" é bem pesada, apesar de ter um arranjo mais animado. Se "Devia ter ficado menos" soa como uma faixa perdida do grupo Rumo, "Caspa" é mais um samba que encerra o álbum.

O segundo disco da carreira da cantora é muito bem produzido e tudo funciona bem, mesmo sem uma linha exata de trabalho. Mas isso não causa confusão ou qualquer coisa do tipo, só mostra como os artistas de hoje são menos presos a gêneros e são mais soltos para fazer o que bem entendem. Se bem feito, como é aqui, o resultado é dos melhores.

Tracklist:

1 - "Saudade"
2 - "Promessa e previsões"
3 - "Se no cinema"
4 - "Tem certeza?"
5 - "Chocolate"
6 - "Vinheta"
7 - "Torturadores"
8 - "Devia ter ficado menos"
9 - "Caspa"

Avaliação: ótimo



Continue no blog:



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!