Mais do blog:

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Resenha: Céu - APKÁ!


Céu vem de um momento muito especial na carreira. Após o lançamento de "Tropix" (2016), ela ganhou o Brasil e o mundo com o melhor disco nacional daquele ano, mostrando como ainda havia espaço para um crescimento musical em uma carreira já bem consolidada ao longo dos anos. Desta vez, ela não demorou quatro anos entre um disco e outro. "APKÁ!" foi disponibilizado em vários formatos na última sexta-feira (13).

"Off (Sad Siri)" abre o álbum de maneira bem lenta e dando ao ouvinte essa carta de intenções sobre o que esperar. É uma letra mais lúdica e, cheia de efeitos, ajuda a criar um clima etéreo com pouca margem para mais realismo. A seguinte, "Coreto", apresenta uma balada romântica que pode se dizer moderna, mas tem boas chances de enjoar rapidamente quem não estiver muito afim de ouvir algo do tipo. E aqui começam os problemas do álbum, que soa enjoativo.

Veja também:
Resenha: Iggy Pop - Free
Resenha: Raphael Saadiq - Jimmy Lee
Resenha: Ride - This is Not a Safe Place
Resenha: Ty Segall - First Taste
Resenha: Sleater-Kinney - The Center Won't Hold
Resenha: Oh Sees - Face Stabber


Os efeitos estão ainda mais presentes na dançante "Forçar O Verão", quando dá para perceber que Céu tenta -- conscientemente ou não -- imitar Marina Lima. A terceira faixa do álbum mostra a tentativa de fazer uma balada mais solar e feita para soltar o pessoal na pista com uma letra e arranjo simples. O lado lúdico e mais artístico retorna em "Corpocontinente", essa com uma temática um pouco mais pesada.

Se "Pardo" traz um lado poético, "Nada Irreal" soa uma declaração de algo que aconteceu e a cantora usa a faixa para mostrar isso de alguma forma. Em inglês, "Make Sure Your Head is Above" simplesmente não funciona e mostra um lado mais afetado de Céu, algo que ela não precisa fazer nas músicas. Depois vem "Fênix do Amor", outra que não agrada.

Mostrando um lado mais "meloso", "Rotação" pode funcionar como tema de algum personagem de alguma novela das 19h da Globo, enquanto "Ocitocina (Charged)" e "Eye Contact" não conseguem chamar atenção em nenhum momento ao longo de pouco mais de cinco minutos.

"APKÁ!" é o tipo de álbum que o músico, cantor ou cantora deseja colocar para fora as nova influências, mas, nesse caso aqui, soa pretensioso. Céu vinha de um trabalho anterior tão bom que qualquer outro soaria abaixo. Mas não precisava ser tão abaixo. Tudo é exagerado e o vocal está muito afetado e estranho, prejudicando muito qualquer andamento. Talvez apenas "Forçar O Verão" seja digna de algum destaque. No mais, é um disco muito abaixo das expectativas.

Tracklist:

1 - "Off (Sad Siri)"
2 - "Coreto"
3 - "Forçar O Verão"
4 - "Corpocontinente"
5 - "Pardo"
6 - "Nada Irreal"
7 - "Make Sure Your Head is Above"
8 - "Fênix do Amor"
9 - "Rotação"
10 - "Ocitocina (Charged)"
11 - "Eye Contact" (feat. Tropkillaz)

Avaliação: ruim



Continue no blog:



Siga o blog no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!