No YouTube

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Novo material não deixa David Bowie morrer por completo


EP com sobras de Blackstar saiu ontem, quando ele completaria 70 anos

Um dos dias mais tristes de 2016 completará um ano amanhã. Dois dias depois do aniversário de 69 anos, vinha o choque da notícia da morte de David Bowie. Sim, um choque. Primeiro ao ler a notícia no app do jornal britânico 'The Guardian', depois ao ver as reações dos amigos nas redes sociais. O desabamento em forma de lágrimas mesmo só veio quando a BBC Radio 1 tocou "Life on Mars", em um especial que tocou as principais canções dele.

Foi difícil não lembrar dele, principalmente a cada morte de alguém importante. Bowie se foi e levou várias pessoas com ele ao longo do ano que passou. Com câncer terminal desde o último trimestre de 2016, ele entregou um dos trabalhos mais emblemáticos de sua carreira: Blackstar. Escrevi à época:

"Bowie é a imagem viva do que qualquer um de nós deveria tentar: dar nossa cara às mais diversas coisas. Só assim para fugir da mesmice do dia a dia, só assim para cada dia ser mais inspirador do que o anterior. Blackstar não tem nada do que Bowie fez, mas faz total sentido. (...) Bowie é um gênio, um protagonista que estava em falta. Ainda bem que ele está de volta."

Veja também:
Resenha: David Bowie – Blackstar
De David Bowie a George Michael: quem nos deixou em 2016
David Bowie e Nick Cave transformaram a morte em obras-primas
Por que chorar a morte de um cantor?
Discos para história: “Heroes”, de David Bowie (1977)
Na passagem pelo Brasil em 1997, Bowie foi entrevistado pela MTV Brasil e pelo Fantástico
Jurava que David Bowie era imortal
O dia que David Bowie foi DJ da BBC Radio 1 por duas horas

Ninguém tinha a menor ideia de que ele estava para partir, tranquilamente, horas depois. Muito mais do que um músico extremamente famoso, Bowie foi uma inspiração para todos nós. O sentimento é de ter ficado órfão, de faltar um pedaço mesmo que nunca mais será preenchido por completo. Ele era a síntese da arte, de alguém incomodado com si mesmo, que ia de um lugar a outro dentro de várias propostas musicais e assumindo várias identidades.

Esse novo material lançado ontem, quando o cantor completaria 70 anos, é curto e só havia sido divulgado pelo musical Lazarus – um dos últimos trabalhos de Bowie. É um EP simples, mas é muito com a cara do cantor, que aliou elementos presentes em Blackstar. É o primeiro de, imagino eu, muito material póstumo que será lançado ao longo dos próximos anos.

Ouçam mais David Bowie. É minha dica para 2017. Sua vida vai mudar.




Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...