No YouTube

terça-feira, 26 de julho de 2016

Resenha: Cheap Trick - Bang, Zoom, Crazy... Hello


Veterana banda retorna após quase uma década sem discos com inéditas

O Cheap Trick é dessas bandas que só o eixo Estados Unidos-Canadá consome de fato – o primeiro disco, de 1977, é muito bom. Apesar de ter pouca fama fora desse circuito, a banda conseguiu sobreviver. E não só isso, tornou-se clássica e admirada por muitos músicos contemporâneos e mais à frente, tendo o guitarrista Rick Nielsen como símbolo.

Bang, Zoom, Crazy... Hello é o 17º disco de estúdio, o primeiro em sete anos. Heart on the Line" é a faixa de estreia e é exatamente o que se espera do Cheap Trick: um riff nervoso acompanhando a canção feita para pular, enquanto a seguinte, "No Direction Home", é um hard rock bem animado – suficiente para satisfazer o ouvinte. Como em todo disco de banda veterana, não poderia faltar uma balada. Ela vem na até que boa "When I Wake Up Tomorrow", que não tem nada de excepcional, apenas cumpre seu papel de aliviar o ritmo intenso das duas primeiras faixas.

Veja também:
Resenha: Biffy Clyro – Ellipsis
Resenha: Joe Bonamassa - Blues of Desperation
Resenha: Michael Kiwanuka – Love & Hate
Resenha: Jeff Beck - Loud Hailer
Resenha: Estranhos Românticos - Estranhos Românticos
Resenha: Tatá Aeroplano – Step Psicodélico
Resenha: The Temper Trap – Thick as Thieves

O solo em "Do You Believe Me?" é uma aula de graça de como se tocar guitarra. Pode não parecer, mas Rick Nielsen é um dos grandes guitarristas americanos dos últimos 40 anos. A letra simples de "Blood Red Lips" encantará aquele tipo de pessoa que gosta de hard rock bem simples, sem frescura, e "Sing My Blues Away" é mais uma balada para dar descanso aos ouvidos.

A épica "Roll Me" tem todos os instrumentos em alto volume, essa, sim, um hard rock legítimo. "The In Crowd" e "Long Time No See Ya" estão na categoria de completar o álbum e cumprem isso bem, já "The Sun Never Sets" é apenas mediana. E a grudenta "All Strung Out" tem a responsabilidade de fechar o disco.

Não esperem uma obra-prima do rock ou algo que mude os rumos do dólar, mas temos um disco bem divertido, cheio de riffs legais e letras fáceis de decorar. E esses elementos são suficientes para divertir ao longo de quase 40 minutos.

Tracklist:

1 - "Heart on the Line"
2 - "No Direction Home"
3 - "When I Wake Up Tomorrow"
4 - "Do You Believe Me?"
5 - "Blood Red Lips"
6 - "Sing My Blues Away"
7 - "Roll Me"
8 - "The In Crowd"
9 - "Long Time No See Ya"
10 - "The Sun Never Sets"
11 - "All Strung Out"

Nota: 3/5



Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Esse post foi um oferecimento de Felipe Portes, o primeiro patrão do blog. Contribua, participe do nosso Patreon.