No YouTube

terça-feira, 28 de junho de 2016

Resenha: The Lumineers – Cleopatra


Segundo trabalho do grupo saiu em abril

Mais uma daquelas bandas que explodiu no início da nova década dos anos 2000, o Lumineers lançou um disco de estreia bem recebido por público e crítica. Mas o inevitável aconteceu, e eles deram uma bela sumida nos últimos meses. Eles disponibilizaram neste ano Cleopatra, o tão temido segundo álbum.

No embalo do sucesso de "Ho Hey", do primeiro disco, "Sleep on the Floor" soa uma continuação – agora com uma pegada mais suave. E até que abrir o trabalho com ela não foi uma ideia ruim, porque traz para os ouvidos uma comodidade que os fãs adoram ter com suas bandas favoritas. "Ophelia" é comum, mas suficiente para manter o ritmo inicial.

O country indie, vamos chamar assim por falta de um nome melhor, aparece em "Cleopatra". Ela começa lenta e se mantém assim, e acaba agradando, de maneira geral, já "Gun Song" e "Angela" são comuns e mais do mesmo, algo que qualquer banda novata faz em seus álbuns com certa tranquilidade.

A sonolenta "In the Light" traz aquele sentimento de frustração, porque a faixa, toda no piano, é insuportável de tão sem sal. Nem comida de hospital consegue ser pior, assim como "Gale Song", uma tentativa de fazer algo parecido com o (ruim) Imagine Dragons, enquanto "Long Way from Home" é mais uma sonolenta de dar pena.

A parte final reserva a tediosa "Sick in the Head", a bonitinha "My Eyes" e o disco encerra com a instrumental e nada de excepcional "Patience". No fim das contas, o Lumineers entra naquele grupo imenso de bandas que lançaram um segundo disco bem abaixo das expectativas. Pouca inspiração e mais do mesmo, um resumo de pouco mais de meia hora de audição.

Tracklist:

1 - "Sleep on the Floor"
2 - "Ophelia"
3 - "Cleopatra"
4 - "Gun Song"
5 - "Angela"
6 - "In the Light"
7 - "Gale Song"
8 - "Long Way from Home"
9 - "Sick in the Head"
10 - "My Eyes"
11 - "Patience"

Nota: 1/5



Veja também:
Resenha: Jake Bugg – On My One
Resenha: Band of Horses – Why Are You OK
Resenha: Laura Mvula – The Dreaming Room
Resenha: Red Hot Chili Peppers – The Getaway
Resenha: Metá Metá - MM3
Resenha: Catfish and the Bottlemen – The Ride
Resenha: Fitz and the Tantrums – Fitz and the Tantrums

Esse post foi um oferecimento de Felipe Portes e Rafael Monteiro, os primeiros patrões do blog. Contribua, participe do nosso Patreon.

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais! Isso ajuda pra caramba o blog a crescer e ter a chance de produzir mais coisas bacanas.

Siga o autor no Twitter