No YouTube

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Resenha: Peter Bjorn and John – Breakin' Point


Trio retorna após cinco anos sem material novo

O ano de 2011 parece tão longe, apesar de ter passado apenas cinco anos. Esse período todo passou com apenas um disco lançado pelo ótimo trio sueco Peter Bjorn and John, de grande sucesso no início dos anos 2000. A pausa acabou, e eles disponibilizaram na última sexta-feira Breakin' Point, o sétimo disco de estúdio deles.

O álbum começa com "Dominos", uma faixa simples, um aquecimento para ir acostumando o ouvinte com o novo trabalho, enquanto bem estruturada "Love Is What You Want" não foge muito do que o trio já fez em trabalhos anteriores. É possível perceber que eles não ousaram muito neste início, indo mais na segurança do que na ousadia.

Em "Do-Si-Do", eles apostam no refrão fácil para assobiar e em uma melodia toda guiada pelo violão. A melhor do disco aparece para subir o nível e "What You Talking About?" tem tudo que se espera deles: refrão grudento, melodia bem dançante e uma mistura boa de eletrônico com um indie pop. É isso que Peter Bjorn and John precisa apresentar, basicamente.

A lenta e mediana "Breakin' Point" chega para diminuir o ritmo do álbum, e a boa "A Long Goodbye" mescla mais ao ser dançante no refrão e mais lenta no processo de chegar até lá. Uma coisa interessante é como eles conseguiram encaixar um quê anos 1980 em "Nostalgic Intellect" – pelo título, isso fica mais claro. Não sei se foi proposital, mas não deixa de ser uma bela sacada.

Mesmo começando bem melancólica, "In This Town" cresce para mostrar seu momento de mais alegria no refrão. Ela fica nesse jogo até o fim, sendo uma ótima canção para trilha sonoras de filmes, documentários, etc. Outra excelente desse trabalho é "Hard Sleep", que entrega um momento pop muito acima da média.

Apesar de entregar um refrão pegajoso, "It's Your Call" está muito abaixo das outras. E ao utilizar esse recurso, deixou a canção refém desse momento, porque o resto não é muito aproveitável. Para encerrar o álbum, "Between the Lines" funciona bem dentro da proposta apresentada e a comum "Pretty Dumb, Pretty Lame" é a derradeira.

Em um disco cheio de canções comuns, duas acabam se destacando, umas três são interessantes e o resto cai em uma vala comum. No fim, esse novo trabalho uma decepção só.

Tracklist:

1 - "Dominos"
2 - "Love Is What You Want"
3 - "Do-Si-Do"
4 - "What You Talking About?"
5 - "Breakin' Point"
6 - "A Long Goodbye"
7 - "Nostalgic Intellect"
8 - "In This Town"
9 - "Hard Sleep"
10 - "It's Your Call"
11 - "Between the Lines"
12 - "Pretty Dumb, Pretty Lame"

Nota: 2/5



Veja também:
Resenha: Paul Simon – Stranger to Stranger
Resenha: The Claypool Lennon Delirium – Monolith of Phobos
Resenha: The Kills – Ash and Ice
Resenha: Corinne Bailey Rae – The Heart Speaks in Whispers
Resenha: Selton – Loreto Paradiso
Resenha: Anohni – Hopelessness
Resenha: James Blake - The Colour in Anything

Esse post foi um oferecimento de Felipe Portes e Rafael Monteiro, os primeiros patrões do blog. Contribua, participe do nosso Patreon.

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais! Isso ajuda pra caramba o blog a crescer e ter a chance de produzir mais coisas bacanas.

Siga o autor no Twitter