No YouTube

segunda-feira, 2 de março de 2015

Resenha: Kate Pierson - Guitars and Microphones


Fundadora do B-52’s, Kate Pierson é reconhecível por duas coisas: sua voz e seus cabelos ruivos. Essa combinação a levou a ser muito mais que uma das vozes femininas de uma das grandes bandas dos anos 1980, mas a fazer parcerias marcantes na música, como com Iggy Pop em “Candy” e R.E.M em "Shiny Happy People".

Por incrível que pareça, Guitars and Microphones é a estreia de Pierson na carreira solo. E com o B-52’s parado desde Funplex, de 2008, pintou uma ótima chance de ver a cantora, pela primeira vez, sozinha e tendo que mostrar ao mundo que consegue segurar um disco inteiro sem ajuda dos amigos.

"Throw Down the Roses", primeira faixa do trabalho, começa com uma batida dançante e tenta chamar a atenção do ouvinte por sua letra que rima o tempo inteiro, além do refrão bem grudento. É um bom início, mas "Mister Sister" quebra um pouco isso por ser uma balada bem comum, sem sal e parece o tipo de música feita há muitos anos em que o pó foi tirado recentemente.

A faixa-título não escapa do inevitável: é muito semelhante ao trabalho feito no B-52’s. Da batida da bateria eletrônica passando pela letra até a voz duplicada, tudo lembra a banda em que Pierson está há mais de 30 anos, e em "Crush Me With Your Love" temos outra balada muito abaixo do esperado, assim como "Bottoms Up", que não absolutamente nada de especial.

"Bring Your Arms" aparece como a grande faixa desse trabalho, sem dúvida. Dançante e muito pop, ela é perfeita para colocar o público para dançar e cantar junto em qualquer balada do mundo. Aqui, a cantora merece todos os créditos por ter acertado em cheio, o mesmo acontece em "Wolves", mais uma balada, mas essa mais delicada, acústica e sem pretensão.

A vibe dançante do B-52’s tenta ser emulada em "Matrix", porém sem sucesso. Se "Time Wave Zero" é dançante e para cima, "Pulls You Under", última faixa, coloca Kate Pierson para cantar uma faixa muito bonita – ela finalmente pôde mostrar sua capacidade vocal.

Uma pena que não há nada de muito diferente que Pierson fez ao longo dos últimos anos, seja em sua banda de origem, seja em alguma parceria. Esperava algo melhor do que músicas dançantes, românticas ou uma mistura de ambos. Para isso, é melhor ouvir o B-52’s.

Tracklist:

1 - "Throw Down the Roses"
2 - "Mister Sister"
3 - "Guitars and Microphones"
4 - "Crush Me With Your Love"
5 - "Bottoms Up"
6 - "Bring Your Arms"
7 - "Wolves"
8 - "Matrix"
9 - "Time Wave Zero"
10 - "Pulls You Under"

Nota: 2/5


Veja também:
Resenha: Of Montreal - Aureate Gloom
Resenha: Steve Earle and The Dukes - Terraplane
Resenha: Drake - If You're Reading This It's Too Late
Resenha: Iron and Wine - Archive Series Volume No. 1
Resenha: José González – Vestiges and Claws
Resenha: Slipknot - .5: The Gray Chapter
Resenha: Carl Barât and The Jackals – Let It Reign
Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram, no G+, no no Tumblr e no YouTube

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!