Mais no blog:

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Manu Chao conseguiu resumir Maradona em uma música


Nesta quarta-feira (25), aos 60 anos, Diego Armando Maradona deixou de ser homem para virar de vez a lenda que sempre foi. Internado recentemente por conta de uma cirurgia, ele estava em casa se recuperando quando sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. Ao longo dos anos, personagem que era, rendeu livros, documentários, seriados e muitas, muitas músicas.

Algumas eram de caráter simples para evocar o fato de ser "Dios" para os argentinos, outras eram de tom provocativo bem-humorado sobre ele ser "más grande que Pelé". Mas existe uma em especial que me comove toda vez que ouço por conseguir apresentar exatamente o que Maradona era: o mais humano dentre os imortais. É "La Vida Tómbola", de Manu Chao.

Veja também:
Regina Duarte deixa Cultura sem nunca ter sido nada além de um enfeite
Coronavírus: Brasil não paralisar eventos é pedir por calamidade pública
Guerra de narrativas só torna incêndio na Universal ainda mais lamentável

A tômbola é um jogo muito popular no sul da Itália muito semelhante ao bingo jogado no Brasil. Ao usar isso como exemplo para falar sobre Maradona, ele acerta em cheio. Porque a vida do eterno camisa 10 foi mesmo um jogo em que azar e sorte se misturavam de um jeito que só alguém como ele poderia ser. Só Maradona conseguiu ser Maradona.

Manu Chao quando canta "Si yo fuera Maradona / Viviría como él", resume essa mistura de sentimentos envolvendo o argentino, essa corda-bamba de ser amado e odiado, esse equilíbrio entre estar bem e perder totalmente o controle, essa humanidade pecaminosa proibida para qualquer um que atinja o panteão dos grandes em qualquer momento da vida. Ser Maradona era difícil para o próprio Maradona. E enquanto lhe foi permitido, ele seguiu vivendo a flor da pele.

Viver como Maradona é conhecer as próprias virtudes e os defeitos. É saber que dias bons e ruins virão pela frente, mas que seguir era fundamental. Gênio da bola e ídolo mundial, Maradona viveu em 60 anos o que muita gente não vive em dez vidas. E foi Manu Chao quem conseguiu melhor resumir essa vida cheia de altos e baixos, essa vida que ele, e acredito que ninguém, trocaria por nada.

Continue no blog:

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!