sexta-feira, 25 de julho de 2014

Discos para história: Traveling Wilburys Vol. 1, do Traveling Wilburys (1988)


A 52ª edição do Discos para história fala sobre o primeiro disco do supergrupo Traveling Wilburys, formado por Bob Dylan, George Harrison, Jeff Lynne, Roy Orbison e Tom Petty, veteranos dos anos 1960 e 1970, que entraram nos anos 1980 sem o mesmo sucesso de antes.

História do disco

A ideia do Traveling Wilburys é de George Harrison que, após sair dos Beatles, havia feito apenas um trabalho de sucesso, mas ele estava pouco se lixando para isso. Nesse meio tempo, ele financiou o grupo de humor inglês Monty Python e andou pelo mundo atrás da Fórmula 1, esporte que ele era grande fã. Ao juntar alguns de seus melhores amigos, a intenção era apenas uma: se divertir.

Depois de convidar Roy Orbison e Jeff Lynne, Harrison falou com Bob Dylan, que só entrou na dança por ser o único com um estúdio caseiro pronto para receber o grupo imediatamente nos Estados Unidos. Por fim, Tom Petty, o mais novo deles todos, foi chamado para compor a banda. O processo de gravação do disco era simples e engraçadíssimo: eles se reuniam em uma sala e falavam um verso. Se fosse aprovado, todos elogiavam, mas se não fosse... O autor recebia uma sonora vaia de todos.


O clima era tão favorável, que o nome do primeiro single saiu muito por acaso. De acordo com Petty, eles precisavam de uma música para começar os trabalhos, então George olhou para uma caixa de cereal e disse: “Handle with Care”. Em cinco horas, os cinco membros do grupo escreveram e gravaram a música, algo impressionante.

No melhor estilo Ramones, eles montaram o Traveling Wilburys com nomes fictícios só para deixar tudo mais divertido. Então não estranhe ao ver Nelson, Otis, Lucky, Lefty e Charlie T. Jr. nos créditos (abaixo tem quem é quem na banda). Depois de gravar as demos, eles foram ao estúdio de David A. Stewart, em Los Angeles, para fazer os primeiros overdubs. Harrison cuidou pessoalmente do processo de finalização em seu estúdio particular na Inglaterra.

Como “dono” do grupo, George também cuidou pessoalmente de dar as entrevistas e procurar uma gravadora para lançar o primeiro disco. Ao entrar em acordo com a Warner Bros., ele criou a Wilbury Records para cuidar exclusivamente dos assuntos do Traveling Wilburys.

Veja também:
Discos para história: Metallica (Álbum Preto), do Metallica (1991)
Discos para história: O Concreto Já Rachou, da Plebe Rude (1985)
Discos para história: Rita Lee (Lança Perfume), de Rita Lee (1980)
Discos para história: As Aventuras da Blitz, da Blitz (1982)
Discos para história: O Passo do Lui, dos Paralamas do Sucesso (1984)
Discos para história: Cabeça Dinossauro, dos Titãs (1986)

Gravado em um mês, Traveling Wilburys Vol. 1 saiu em outubro de 1988 e vendeu dois milhões de cópias nos Estados Unidos. Mas o disco fez muito mais sucesso na Inglaterra, ocupando a terceira colocação na primeira semana de vendas. O álbum acabou potencializando os discos seguintes de Harrison e Petty, enquanto os outros só lançariam trabalhos inéditos tempos depois.

Esse foi o último LP gravado por Roy Orbison – ele sofreu uma parada cardíaca dia 6 de dezembro de 1988 e não sobreviveu. Da formação original, Harrison é o único que também morreu, em consequência de um câncer no pulmão. Eles puderam saborear o sucesso do supergrupo, que foi aclamado entre o final dos anos 1980 e início dos anos 1990 como um dos “projetos ambiciosos entre músicos mais bem-sucedidos daquela década”. O trabalho foi relançado em recentemente e ficou entre os dez mais vendidos no Reino Unido novamente.



Resenha de Traveling Wilburys Vol. 1

O disco começa com a melhor faixa possível: "Handle with Care" tem uma letra excelente, ajudada por sua levada acústica e pela brilhante participação de todos do grupo – destaque para a bela voz de Roy Orbison no refrão da música cantada por George Harrison. É possível ver que é um disco de cinco caras quando chega o refrão de "Dirty World", com Bob Dylan em seu momento pop, em que a participação da banda só abrilhanta os mais de três minutos de duração.

A country "Rattled" mostra que Jeff Lyne estava em forma para manter o ritmo no bom andamento, enquanto “Last Night”, canção que tem uma levada bem leve, é interpretada por Tom Petty – o verso She was dark and discreet, she was light on her feet/ We went up to her room and she lowered the boom/ Last night, thinking about last night/ Last night, thinking about last night resume bem o que ela é.



Para fechar o lado A, "Not Alone Any More" é um show de Orbison no que acabou sendo sua despedida. Como diria o outro, potencia não é nada sem controle, e era exatamente o que ele tinha em sua brilhante voz. Que interpretação incrível.

Petty aparece novamente na balada acústica "Congratulations", outra com uma letra belíssima. Aliás, as composições são um trunfo e tanto nesse disco, mostrando que eles estavam em plena forma, não decadentes como muitos falavam. Harrison volta na delicada "Heading for the Light", em que todos voltam a participar mais ativamente de uma faixa.



It was in Pittsburgh late one night/ I lost my hat, got into a fight/ I rolled and tumbled till I saw the light/ Went to the big apple, took a bite, assim começa “Margarita”, cantada por Dylan, que conseguiu misturar bem seu estilo trovador a uma canção com ares de country rock. Com maior duração, "Tweeter and the Monkey Man" é uma homenagem de Dylan a Bruce Springsteen, a quem muitos tratavam como seu successor, e é cheia de referências aos títulos de canções de Springesteen. Uma bela sacada. Por fim, todos retornam em "End of the Line” – ironia do destino ser essa a última canção gravada por Roy Orbison.

Experientes no cenário musical, os cinco músicos não lutavam por espaço, tampouco por manchetes e se reuniram exclusivamente para se divertirem e cantarem as canções que fizeram juntos. O Traveling Wilburys é dessas bandas que não nasceram para dar errado. E não deu.



Tracklist:

Lado A

1 - "Handle with Care"
2 - "Dirty World"
3 - "Rattled"
4 - "Last Night"
5 - "Not Alone Any More"

Lado B

6 - "Congratulations"
7 - "Heading for the Light"
8 - "Margarita"
9 - "Tweeter and the Monkey Man"
10 - "End of the Line"

Todas as canções são creditadas para Traveling Wilburys.

Ficha Técnica

Gravadora: Wilbury/Warner Bros. Records
Produção: Otis e Nelson Wilbury (Jeff Lynne e George Harrison)
Tempo: 36min22s

Nelson Wilbury (George Harrison): vocais, violão, guitarra, guitarra slide e vocais de apoio
Otis Wilbury (Jeff Lynne): vocais, violão, guitarra, teclado e vocais de apoio
Charlie T. Wilbury Jr (Tom Petty): vocais, baixo, violão e vocais de apoio
Lefty Wilbury (Roy Orbison): vocais, violão e vocais de apoio (exceto em “Tweeter & The Monkey Man”)
Lucky Wilbury (Bob Dylan): vocais, violão, gaita e vocais de apoio

Convidados

Buster Sidebury (Jim Keltner): bateria
Jim Horn: saxofone
Ray Cooper: percussão
Ian Wallace: tom-toms em "Handle with Care"



Me siga no Twitter e no Facebook e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!