No YouTube

sexta-feira, 6 de março de 2015

Resenha: North Mississippi Osborne – Freedom and Dreams



A receita é a seguinte: pegue Anders Osborne, cantor sueco radicado nos Estados Unidos, e junte com o pessoal do North Mississipi Allstars, capitaneado pelos irmãos Luther e Cody Dickinson – pra quem não sabe, Luther tocou guitarra em dois discos do Black Crowes, Warpaint e Before the Frost...Until the Freeze. O resultado desta mistura tem nome: trata-se do North Mississippi Osborne, que aparece com o disco Freedom & Dreams. Os dois ‘ingredientes’ têm carreiras consolidadas – Osborne tem dez discos lançados e o North Mississippi Allstars tem sete.

Os trabalhos são abertos com “Away, Way Too Long”, que dá uma ideia de qual é o tom que predomina no disco, com os vocais característicos de Osborne e a parte instrumental bem ao estilo do grupo comandado pelos irmãos Dickinson. O solo de slide guitar executado por Luther é uma prova concreta (e bem executada) que corrobora a teoria citada acima. “Back Together” tem um clima mais tranquilo e mais ‘Osborne’, falando sobre o reencontro de duas pessoas após um tempo distantes um do outro, tendo a guitarra de Luther e a interpretação do sueco como destaques.

“Lonely Love” tem clima setentista e é mais uma prova da química entre os dois lados da colaboração que resultou no disco, com as guitarras de Osborne e Luther ‘conversando’, além de um breve solo de bateria no final. A balada “Dyin’ Days” também tem mais a ‘cara’ do sueco e o baixo marca o ritmo, mas não apresenta algo especial. A faixa seguinte, a bela “Shining (Spacedust)”, eleva os níveis de balada (no bom sentido), com destaque para o solo de guitarra no final. 

Já “Brush Up Against You” começa com Luther mandando ver no slide guitar e lembra aqueles blues do tempo de Robert Johnson, mas com a pegada característica do North Mississipi Allstars, sendo um dos destaques do disco – a jam que toma conta da metade final da canção é muito boa. “Annabel” é a caipirice norte-americana em essência, enquanto a belíssima (e triste) “Katrina” tem um quê de R&B. “Kings and Peasants” apresenta guitarras cheias de efeitos, cobertas por uma melodia southern e é daquelas músicas que fazem o ouvinte imaginar aquele cenário de uma cidade pacata do centro-sul dos Estados Unidos.  

“Many Wise Man” é mais uma balada, desta vez totalmente acústica, trazendo uma pegada suavemente diferente se comparada às canções apresentadas no disco até então. Para fechar o disco, “Junco Pardna” traz novamente aquela ‘vibe’ dos blues das antigas e abre espaço para Luther exibir mais uma vez toda a técnica e feeling no slide guitar.

As sessões de gravação de Freedom & Dreams duraram exatos quatro dias. Foi o suficiente para que a química entre Osborne e o North Mississippi Allstars fluísse naturalmente. É daqueles discos pra colocar no player e pegar a estrada sem pressa, curtindo a paisagem, tendo como trilha sonora a bela mistura produzida por essa soma de duas forças do blues/southern atual.

Tracklist:

1 – “Away, Way Too Long”
2 – “Back Together”
3 – “Lonely Love”
4 – “Dyin’ Days”
5 – “Shining (Spacedust)”
6 – “Brush up Against You”
7 – “Annabel”
8 – “Katrina”
9 – “Kings and Peasants”
10 – “Many Wise Man”
11 – “Junco Pardna”

Nota: 4,5/5



Veja também:
Resenha: Noel Gallagher's High Flying Birds - Chasing Yesterday
Resenha: Kate Pierson - Guitars and Microphones
Resenha: Of Montreal - Aureate Gloom
Resenha: Steve Earle and The Dukes - Terraplane
Resenha: Drake - If You're Reading This It's Too Late
Resenha: Iron and Wine - Archive Series Volume No. 1
Resenha: José González – Vestiges and Claws

Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram, no G+, no no Tumblr e no YouTube

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!