No YouTube

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Resenha: Neil Diamond – Melody Road


O novo disco de Neil Diamond, seu 32º, vem com uma novidade e tanto. E não falo musicalmente ou de estilo. Depois de 40 anos na Columbia, o cantor deixou a gravadora e assinou com a Capitol, levando com consigo todo seu catálogo. Desde 2008 sem lançar nada inédito, Diamond, ao que parece, queria chegar com tudo em seu novo local de trabalho.

Sem fazer muito barulho por essas bandas do mundo, Melody Road chegou ao quarto lugar nas paradas do Reino Unido e na terceira posição nos Estados Unidos, mostrando que Diamond ainda tem bastante força quando lança um disco. Claro que o período sem material inédito colaborou, mas, claro, a qualidade sempre está à frente de qualquer coisa.

O início com "Melody Road", um folk tranquilo e sem necessidade de ouvir com pressa – uma ótima pedida para ouvir enquanto faz uma boa caminhada pela cidade ou enquanto quer apenas relaxar depois de um dia cansativo. A vontade de viajar o mundo é quase instantânea ao longo dos pouco mais de três minutos de música. É uma frustração quando termina. Indo mais na linha do folk rock, sem perder a essência da base musical dos primórdios desse estilo de música, "First Time" é dançante e bem melódica ao mesmo tempo. Um início de disco espetacular.


"Seongah and Jimmy" tem muito das cantigas irlandesas do século 18, período em que o folk foi levado aos Estados Unidos pelos imigrantes. A faixa também muito de pop, principalmente pelo teor da letra. Aliás, as letras desse disco estão caprichadas, como na dobradinha "Something Blue" e "Nothing But a Heartache", sendo a primeira mais dançante e a segunda mais profunda e reflexiva. O violão retorna em "In Better Days", uma balada com ar country.

Alguns cantores e cantoras não têm mais colocado alma em suas músicas e escrevem qualquer coisa que faça sucesso, o que é uma pena. Indo na direção oposta, Neil Diamond escreveu a linda "(Ooo) Do I Wanna Be Yours". Não adianta tentar colocar em palavras essa música, é o caso de senti-la entrando pelos ouvidos e trazendo paz. Mais fraca do álbum, "Alone at the Ball" não faz muita diferença e dá até para pulá-la tranquilamente.

Com seu ar pop, "Sunny Disposition" cumpre bem seu papel, já "Marry Me Now" retorna com o country contador de histórias. Mais uma balada, essa bem melosa, "The Art of Love" encerra bem esse novo álbum de Neil Diamond. Aliás, o cantor e compositor mostra que está mais em forma do que nunca aos 73 anos. Que siga assim.

PS: a capa do disco é horrível.

Tracklist:

1 - "Melody Road"
2 - "First Time"
3 - "Seongah and Jimmy"
4 - "Something Blue"
5 - "Nothing But a Heartache"
6 - "In Better Days"
7 - "(Ooo) Do I Wanna Be Yours"
8 - "Alone at the Ball"
9 - "Sunny Disposition"
10 - "Marry Me Now"
11 - "The Art of Love"
12 - "Melody Road (Reprise)"

Nota: 4/5



Veja também:
Resenha: Damien Rice – My Favourite Faded Fantasy
Resenha: Tony Allen – Film Of Life
Resenha: Smashing Pumpkins – Monuments To An Elegy
Resenha: Stu Larsen – Vagabond
Resenha: She and Him – Classics
Resenha: John Coltrane - Offering: Live at Temple University