No YouTube

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Resenha: Tweedy – Sukirae


Sukirae é o projeto de Jeff Tweedy, vocalista do Wilco, com seu filho Spencer na bateria. Depois dos singles, clipes e shows, finalmente o disco foi liberado para audição na última semana. A expectativa sobre esse trabalho era nenhuma, por isso a curiosidade tomou conta quando o Spotify anunciou o trabalho.

A abertura, com "Please Don't Let Me Be So Understood", dá a impressão que teremos um disco cheio de guitarras, melodias pesadas e letras fortes. Mas não se iluda. A segunda faixa, "High As Hello", é que mostra realmente como será o álbum: exatamente o oposto. E com um toque acústico, além de ser uma das boas desse trabalho.

Outra muito boa é delicada "World Away", em que a bateria de Spencer Tweedy consegue comandar todo ritmo – uma guitarra aparece dando um ar diferente. A quarta canção, ainda na metade, mostra como Jeff Tweedy é um dos grandes letristas de sua geração. "Diamond Light Pt. 1" é sensível e chama atenção pela quase perfeição. Vale muito a pena ouvi-la.

Tweedy consegue passar toda sensibilidade de um bom compositor em "Wait For Love". Já "Low Key" soa uma sobra de estúdio do Wilco ou material escrito pata fazer parte do trabalho da banda original do cantor, mas acabou sendo excluída. Mesmo assim, ela não é ruim, mostrando como o trabalho dele é de alto nível. "Pigeons" é outra que parece ter sido aproveitada agora – tudo bem, não há problema nenhum nisso.

Mais sombria, principalmente pelos vocais de apoio ao fundo, "Slow Love" mostra outro lado do duo: mais triste e para baixo. Aqui, temos uma quebrada de ritmo em comparação com as primeiras sete canções. O mesmo expediente é usado em "Nobody Dies Anymore", outra ótima faixa melancólica do trabalho. Em "I'll Sing It", é possível perceber que as canções mais longas acabaram sendo as escolhidas para a dupla trabalhar melhor as melodias e as letras – todas, sem exceção, são ótimas.

Mas as músicas mais curtas também tem seu valor, como "Flowering" e seu refrão grudentol, "Desert Bell", outra que conta com a simplicidade de uma ótima melodia e "Summer Noon", que também soa como um Wilco adaptado. Na 14ª, aparentemente, Tweedy – o pai, no caso – aparece sozinho com seu violão. Porém tudo volta em "New Moon" e sua toada country.

A guitarra slide aparece pela primeira vez em "Down From Above". Ela soa como o início de uma faixa que se completa em "Where My Love", em que o piano e os vocais de apoio sombrios retornam. Para quem não sabe, Jeff Tweedy foi membro do Uncle Tupelo, uma banda notória por tocar country. E parece que essa influência voltou com tudo nesse trabalho, como em "Fake Fur Coat", "Hazel" e "I'll Never Know", as três últimas do disco.

É um disco muito longo, com mais de 70 minutos, mas que vale muito a pena. Claro, que algumas canções se repetem e acabam parecendo a mesma música, principalmente no meio do álbum. Mas vale muito a pena ouvi-lo porque Tweedy mostra-se um belo compositor e parece ter atingido uma maturidade ainda maior neste registro solo.

Tracklist:

1 - "Please Don't Let Me Be So Understood"
2 - "High As Hello"
3 - "World Away"
4 - "Diamond Light Pt. 1"
5 - "Wait For Love"
6 - "Low Key"
7 - "Pigeons"
8 - "Slow Love"
9 - "Nobody Dies Anymore"
10 - "I'll Sing It"
11 - "Flowering"
12 - "Desert Bell"
13 - "Summer Noon"
14 - "Honey Combed"
15 - "New Moon"
16 - "Down From Above"
17 - "Where My Love"
18 - "Fake Fur Coat"
19 - "Hazel"
20 - "I'll Never Know"

Nota: 4/5



Veja também:
Resenha: Slash feat. Myles Kennedy and The Conspirators - World on Fire
4 em 1: Gerard Way, Lenny Kravitz, Ace Frehley e Fu Manchu
Resenha: Prince - Art Official Age
Resenha: Prince e 3RDEYEGIRL – PLECTRUMELECTRUM
Resenha: Joe Bonamassa - Different Shades of Blue
Resenha: Leonard Cohen – Popular Problems




Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram, no G+ e no YouTube

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!