No YouTube

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Resenha: Prince e 3RDEYEGIRL – PLECTRUMELECTRUM


Prince é um cantor e músico genial, mas suas manias e certas atitudes ao longo dos anos fizeram dele mais um cara folclórico do que outra coisa. E se a década de 1980 foi ótima para ele, com 1999 e Purple Rain rivalizando com Michael Jackson, os trabalhos dos últimos anos foram bem abaixo do esperado.

Começar com "WOW", um R&B recheado com guitarras e vocais leves, mostra que Prince está disposto a deixar o relaxo de lado para fazer algo melhor. A companhia da 3rdeyegirl, banda formada apenas por mulheres, dá um recheio especial à faixa. A seguinte, "PRETZELBODYLOGIC", puxa mais para o lado rock e mais cheio de firulas, principalmente pela melodia. A letra é fácil, animada e deve fazer sucesso.

"AINTTURNINROUND" é cheia de firulas e não traz nada, parece mais uma coisa feita para agradar do que propriamente colocar com intenção pensada de estar ali, já a faixa-título do trabalho é toda instrumental e é muito boa – cheia de ritmo, riffs poderosos e tudo que tem direito. A balada "WHITECAPS", em que uma voz feminina aparece pela primeira vez como principal, é acústica e vem depois de um início repleto de elementos, como R&B, blues e rock. É até surpreendente que ela esteja aqui.

A boa "FIXURLIFEUP" mantém o ritmo do trabalho, que segue embalado, mas... Tudo bem que Prince já está no patamar dos gênios da música, mas "BOYTROUBLE" mostra como ele pode ser preguiçoso em alguns momentos. Não adianta colocar uma melodia dançante com um solo de guitarra e um rap para a música ficar boa. É um dos momentos mais baixos do álbum – talvez o pior deles.

Oitava canção, "STOPTHISTRAIN" é bem comum, mas bem comum. Não tem nada que chame atenção ou qualquer coisa do tipo, assim como "ANOTHERLOVE", outra que é muito bem produzida e deve chamar atenção dos fãs, mesmo sem impressionar. De volta às baladas, "TICTACTOE" é boa, até. Quer dizer, funciona e cria um clima bem amigável durante a audição.

A curtinha "MARZ" aparece e sobe o tom. Sim, pela primeira vez uma faixa realmente empolgante e, enfim, sem parecer muito com as outras. Por fim, como o próprio nome diz, "FUNKNROLL" é um funk ao melhor estilo Prince, com o baixo dominando e dando ritmo à canção. Um ótimo encerramento.

Mesmo com altos e baixos, esse disco do Prince é menos preguiçoso do que os anteriores, porém é inferior aos trabalhos que o consagraram como um dos grandes da música mundial. Se vale a pena ouvir? Vale. Prince ainda se mantém relevante? Sim. Essas duas respostas resumem bem o álbum.

Tracklist:

1 - "WOW"
2 - "PRETZELBODYLOGIC"
3 - "AINTTURNINROUND"
4 - "PLECTRUMELECTRUM"
5 - "WHITECAPS"
6 - "FIXURLIFEUP"
7 - "BOYTROUBLE" ft. Lizzo & Sophia Eris
8 - "STOPTHISTRAIN"
9 - "ANOTHERLOVE"
10 - "TICTACTOE"
11 - "MARZ"
12 - "FUNKNROLL"

Nota: 3,5/5



Veja também:
Resenha: Joe Bonamassa - Different Shades of Blue
Resenha: Leonard Cohen – Popular Problems
4 em 1: Ryan Adams, Alt-J, Pulled Apart By Horses e Owen Pallett
Resenha: Death from Above 1979 – The Physical World
Resenha: BANKS – Goddess
Resenha: Robert Plant & The Sensational Space Shifters – Lullaby and… The Ceaseless Roar




Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram, no G+ e no YouTube

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!