Resenha: Jack White - Fear of the Dawn


Jack White já não precisa mais fazer qualquer esforço para ser reconhecido como uma das pessoas mais legais e que mais fazem pela música nos últimos anos. De fundar uma gravadora própria, a Third Man, até recuperar prensas de vinil e dedicar-se ao restauro e pesquisa de antigos álbuns, ele poderia viver apenas disso, mas ainda tem muito a dizer na música.

Só ele mesmo para anunciar o lançamento de dois discos em pleno 2022. O primeiro deles, "Fear of the Dawn", foi disponibilizado recentemente e soa como um enorme recado ao mainstream: eu não preciso mais de vocês. O início com "Taking Me Back" e a faixa-título, ambas recheadas com uma guitarra muito barulhenta, prontas para desafiar qualquer um. E White dobra a aposta em "The White Raven" e na parceria com Q-Tip em "Hi-De-Ho".

Veja também:
Resenha: Red Hot Chili Peppers - Unlimited Love
Duas resenhas: Rosalía e Charli XCX
Duas resenhas: Erasmo Carlos e Lô Borges
Resenha: Germaine Franco - trilha sonora de Encanto
Resenha: Jonny Greenwood - trilha sonora de Ataque dos Cães
Duas resenhas: Alex Cameron e Rex Orange County

Estou no Twitter e no Instagram. Ouça o podcast, compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

A guitarra sempre fez parte do universo musical de White desde sempre. Com o passar os anos, ele foi se aprimorando e consegue tirar cada vez mais do instrumento. A sequência formada por "Eosophobia" e "Into the Twilight", sendo essa com um sampler da voz do escritor William S. Burroughs (1914-1997), são um bom exemplo. Já "What's the Trick" ele experimenta ainda mais, contrastando com "That Was Then (This Is Now)", a faixa mais White Stripes de todo disco.

Depois de uma segunda versão de "Eosophobia", White finaliza o álbum com a tranquila "Morning, Noon and Night" e na "balada" "Shedding My Velvet", encerrada com o bonito verso "Better to illuminate than merely to shine" / "You say this all the time and you're right".

Jack White faz de "Fear of the Dawn", ao menos nesse momento, uma despedida do mainstream ao entregar um trabalho muito mais experimental do que qualquer outro que tenha feito. Proposital ou não, saberemos futuramente.

Tracklist:

1 - "Taking Me Back"
2 - "Fear of the Dawn"
3 - "The White Raven"
4 - "Hi-De-Ho" (featuring Q-Tip)
5 - "Eosophobia"
6 - "Into the Twilight"
7 - "Dusk"
8 - "What's the Trick"
9 - "That Was Then (This Is Now)"
10 - "Eosophobia (Reprise)"
11 - "Morning, Noon and Night"
12 - "Shedding My Velvet"

Avaliação: muito bom

Comentários