Mais do blog:

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Resenha: Linkin Park – The Hunting Party


Para quem é da minha geração (entre 21 e 26 anos), saber quem é o Linkin Park não é muito difícil, assim como não é difícil ver o declínio da banda nos últimos tempos com discos duvidosos – algo bem diferente do início dos anos 2000, quando eles explodiram graças aos dois primeiros álbuns.

A esperança de ouvir um disco bom foi para o buraco com "Keys To The Kingdom", a abertura do trabalho. O Linkin Park já fazia músicas nesse estilo e melhores há anos, por isso é muito desanimador ouvir, logo de cara, uma faixa tão fraca. Avançando para "All For Nothing", o título reflete bem a canção: tudo para nada. Chatíssima.

"Guilty All The Same" começa bem, pesada e bem alta, e se mantém em um bom nível. Uma pena que ela é muito longa e tem floreios em excesso, bem diferente do interlúdio "The Summoning" que antecipa a ótima “War” – pesada, rápida e simples. Ainda na onda do voltando ao básico, "Wastelands" lembra muito os melhores momentos da banda entre 2000 e 2005, assim como "Until It’s Gone", mas essa sem o mesmo brilho.

"Rebellion" é outra que entra na categoria de ser fraca e sem nada que impressione, semelhante a "Mark The Graves", que, provavelmente, só deve chamar a atenção de crianças e adolescentes entre 11 e 17 anos. Mais um interlúdio, "Drawbar", vem antes da mediana "Final Masquerade" e de "A Line In The Sand" com seu final épico, típico da banda.

Esse álbum novo do Linkin Park é uma decepção para quem cresceu ouvindo a banda no início dos anos 2000 por parecer um imenso catado e sobras do que fizeram antes. Talvez deva agradar aos novos fãs e a nova geração de adolescentes, mas não deixa de ser triste ver um grupo com potencial fazer a mesma coisa há mais de uma década. Está na hora de crescer.

Tracklist:

1 – "Keys To The Kingdom"
2 – "All For Nothing" (feat. Page Hamilton)
3 – "Guilty All The Same" (feat. Rakim)
4 – "The Summoning"
5 – "War"
6 – "Wastelands"
7 – "Until It’s Gone"
8 – "Rebellion" (feat. Daron Malakian)
9 – "Mark The Graves"
10 – "Drawbar" (feat. Tom Morello)
11 – "Final Masquerade"
12 – "A Line In The Sand"

Nota: 1,5/5



Veja também:
Resenha: Mastodon – Once More ‘Round The Sun
4 em 1: A Sunny Day In Glasgow, Brian Eno & Karl Hyde, The Horrors e Sebastian Bach
Resenha: Pitty – SETEVIDAS
Resenha: Ed Sheeran – X
Resenha: Skank – Velocia
4 em 1: Sharon Van Etten, Matisyahu, Pixies e Miranda Lambert