Mais do blog:

terça-feira, 3 de junho de 2014

Resenha: Paolo Nutini - Caustic Love


Paolo Nutini chegou ao primeiro lugar das paradas britânicas no último mês de maio, mas, desconhecido por muitos neste lado de cá do oceano, passou rápido como o sol em Londres. Como já contei antes, pensei que ele era mais um desses cantores a fazer um pop bobinho e descartável, e me enganei redondamente.

Primeira faixa, "Scream (Funk My Life Up)" é cheia de suingue e tem muito de Motown nela – parece que é um negro que está cantando. É um belo começo de um trabalho que parece muito promissor logo de cara. Um soul muito bom, "Let Me Down Easy" é cheia de romantismo, complementado pelo sampler da voz de Bettye LaVette, que tem uma música de mesmo nome. Uma ótima combinação.

Depois do interlúdio desnecessário em "Bus Talk", "One Day" soa como um standard do século 21 com toques de soul e gospel, e a voz de Nutini combinou perfeitamente para transformar a faixa em algo para se ouvir quando há um coração partido. Feita para dançar (sentado ou em pé), "Numpty" também tem seu toque soul e R&B muito bem distribuídos quase quatro minutos. Então vem outro interlúdio em "Superfly".

Just to see this girl's smile/ All the while, she'll make you feel so much better/ Oh that girl, makes me wanna be a better man/ And should she see fit, gonna treat her like a real man can é apenas um dos versos melosos de "Better Man", aquela canção que é feita para o público acender o isqueiro (ou o celular) nos shows. É uma faixa muito forte, e a melodia e os vocais de apoio ajudam a consolidar isso.

Em "Iron Sky” há a voz emocionante de Nutini e uma bela melodia ao mundo, que é a faixa em si. Tocante sem soar piegas é um belo resumo – ainda há um trecho de uma fala de Charles Chaplin em O Grande Ditador. Já "Diana" é uma tentativa de R&B que poderia ter sido melhor aproveitada, parece que falta alguma coisa. A animação volta na dançante "Fashion", com a boa participação de Janelle Monáe, um R&B que faz jus ao ritmo.

Outra belíssima faixa, "Looking for Something" parece ter sido feita para Rod Stewart por tudo que ela tem, mas Nutini conseguiu transformá-la em uma coisa ainda melhor. Única que foge um pouco do soul, R&B e funk, "Cherry Blossom" é mais etérea e com uma pegada mais pop, então ela não é tão boa como as anteriores, porém nenhuma supera "Someone like You", um verdadeiro standard de tão absurdamente boa que é. O fim reservou a melhor canção.

A audição de Caustic Love surpreende por ser um álbum simples, mas muito coeso e cheio de boas músicas. E se você julga Paolo Nutini por ser escocês ou por ter nome italiano, você está totalmente enganado. O terceiro disco de estúdio dele é um dos ótimos lançados neste primeiro semestre e merece sua atenção. Por tanto, retire seu preconceito e escute o disco. Não haverá arrependimentos.

Tracklist:

1 - "Scream (Funk My Life Up)"
2 - "Let Me Down Easy"
3 - "Bus Talk"
4 - "One Day"
5 - "Numpty"
6 - "Superfly"
7 - "Better Man"
8 - "Iron Sky"
9 - "Diana"
10 - "Fashion" (feat. Janelle Monáe)
11 - "Looking for Something"
12 - "Cherry Blossom"
13 - "Someone like You"

Nota: 4/5



Veja também:
4 em 1: Robert Ellis, Noah Gundersen, The Men e Eric Church
Resenha: Coldplay – Ghost Stories
4 em 1: John Butler Trio, Suzanne Vega, Ruben Studdard e Bayside
Resenha: Nação Zumbi - Nação Zumbi
Resenha: Michael Jackson – Xscape
Resenha: Neil Young – A Letter Home