No YouTube

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Resenha: The Raveonettes – Pe’ahi


De maneira surpreendente, o Raveonettes lançou seu trabalho novo. Surpreendente mesmo, porque o duo dinamarquês lançou Pe’ahi sem que ninguém soubesse nada. Por isso, o álbum acabou sem recebido com um misto de desconfiança e incredulidade, mas foi muito comemorado pelos fãs.

O noise pop da curta "Endless Sleeper" demonstra que o Raveonettes pretendia impressionar logo de cara. Conseguiu. Essa mistura de Dum Dum Girls com The Kills dá a impressão de estar dentro de uma espécie de sonho ou qualquer coisa parecida com isso. A impressão não diminui em "Sisters", faixa que apela mais para o shoegaze do que a anterior.

A gama de camadas e instrumentos gera curiosidade na audição, como no caso de "Killer in the Streets". A melodia cresce e cresce, e a letra segue uma toada muito boa, propícia para atingir o público que gosta desse tipo de som, bem diferente é a leve e antipática "Wake Me Up". Muito abaixo das outras por flertar com o trabalho que Lana Del Rey fez em seu último disco.

Maior canção do trabalho, "Z-Boys" começa até empolgante, mas vai diminuindo, diminuindo, até virar algo sonolento e sem graça. Com cara de single por ser mais leve e mais pop, "A Hell Below" tem grande chance de fazer sucesso, enquanto "The Rains of May" retoma o ritmo lento, sonolento e sem graça. A empolgação volta em "Kill!", uma mistura de noise com Yeah Yeah Yeahs, primeira canção que realmente agrada do início ao fim.

Novamente, desta vez em "When Night is Almost Done", o duo soube usar melhor os instrumentos e efeitos na boa letra, que também tem potencial para ser single de sucesso. Outra que pode conseguir voos mais altos é "Summer Ends", que consegue dar um bom final para Pe’ahi.

O noise pop, dream pop e shoegaze voltaram com tudo em 2014, principalmente depois de Lana Del Rey, My Blood Valentine e outras bandas mais antigas do gênero voltarem às paradas. O caso do Raveonettes é de um duo experiente que lançou um disco surpresa, uma pena que apenas mediano. Com algumas canções boas, o trabalho peca por não conseguir manter o ritmo forte em quase 40 minutos de audição. Algumas faixas são ótimas, mas a maioria é apenas regular.

Tracklist:

1 - "Endless Sleeper"
2 - "Sisters"
3 - "Killer in the Streets"
4 - "Wake Me Up"
5 - "Z-Boys"
6 - "A Hell Below"
7 - "The Rains of May"
8 - "Kill!"
9 - "When Night is Almost Done"
10 - "Summer Ends"



Nota: 2,5/5

Veja também:
Resenha: Johnny Cash – Out Among The Stars
4 em 1: Jason Mraz, Ted Nugent, Broilers e Afterhours
Resenha: Capital Inicial - Viva a Revolução EP
Resenha: Eric Clapton and Friends - The Breeze: An Appreciation of J.J Cale
Resenha: Tom Petty and the Heartbreakers - Hypnotic Eye
4 em 1: Tune-Yards, Buffalo Killers, Guided By Voices e The Souljazz Orchestra




Siga o blog no Twitter, Facebook, Instagram e no G+