terça-feira, 30 de março de 2021

Resenha: Tomahawk - Tonic Immobility


Quem disse que a pandemia deixaria Mike Patton parado? Claro que não. Dono de mais projetos do que qualquer empreiteiro contratado por governos Estaduais, ele segue na ativa mais do que nunca, agora com o novo álbum do Tomahawk. Formado em 1999, a atual formação da banda conta com, além de Patton Duane Denison, John Stanier e Trevor Dunn.

"Tonic Immobility" é o quinto álbum de estúdio do grupo e começa exatamente como qualquer fã da banda espera: muita força em todos os instrumentos e um Patton mais inspirado do que nunca. "SHHH!" é dessas músicas convidativas para sair pulando em qualquer lugar -- afaste as mesas e qualquer coisa que possa machucar, caso você faça isso. O disco segue com músicas muito consistentes e mostra a banda em grande fase.

Veja também:
Duas resenhas: The Weather Station e Divide and Dissolve
Duas resenhas: Soen e Rob Zombie
Duas resenhas: American Culture e Jon Batiste
Resenha: trilha sonora de Destacamento Blood
Dois discos: Fruit Bats e Zara Larsson
Duas resenhas: Arab Strap e Painted Shrines

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Estou no Twitter e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!

Um dos destaques do álbum é "Doomsday Fatigue", faixa que consegue criar um clima de filme de terror ao longo de exatos três minutos e meio. Ao vivo, espero que o mais rápido possível, essa canção tem potencial para deixar os fãs extasiados e prontos para lavar a alma quando surge "Business Casual", outra canção em que Patton domina completamente a cena e não deixa dúvidas sobre a versatilidade dele como vocalista ao conseguir cantar qualquer coisa.

Como qualquer projeto de Patton, o Tomahawk não é uma banda que lança discos com grande regularidade. O espaço de oito anos sem um trabalho de inéditas poderia ser preocupante para qualquer um, mas não é para eles. Primeiro, pela ocupação do vocalista com as outras banda, o que impossibilita ele estar em mais de um lugar em simultâneo; segundo, eles sabem da consistência do material e confiam que o encontro, independentemente do tempo, será produtivo e resultará em um bom material.

O álbum é exatamente isso: consistente, atrativo e bem-feito. É do jeito que qualquer fã esperava e fez valer a pena quase uma década de espera. "Tonic Immobility" mostra como o Tomahawk é uma das bandas mais importantes do metal alternativo.

Tracklist:

1 - "SHHH!"
2 - "Valentine Shine"
3 - "Predators and Scavengers"
4 - "Doomsday Fatigue"
5 - "Business Casual"
6 - "Tattoo Zero"
7 - "Fatback"
8 - "Howlie"
9 - "Eureka"
10 - "Sidewinder"
11 - "Recoil"
12 - "Dog Eat Dog"

Avaliação: muito bom

Continue no blog: