Mais no blog:

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Duas resenhas: Viagra Boys e The Dirty Nil


Viagra Boys - "Welfare Jazz"

Existem bandas que desejam levar suas mensagens de paz e amor pelo mundo como se fosse uma obrigação fazer isso por toda vida. E existem bandas que só querem se divertir, como é o caso dos suecos dos Viagra Boys em "Welfare Jazz", o segundo disco de estúdio da carreira iniciada em 2015. Usando de ironia, sátira e muito humor -- daqueles para constranger ao melhor estilo "The Office" --, algo que anda muito em falta no mundo atualmente, o grupo consegue fazer um trabalho divertido ao conseguir explorar o melhor do punk e do pós-punk ao longo de pouco mais de 40 minutos.

Avaliação: muito bom

Veja também:
Duas resenhas: Steve Earle and The Dukes e Barry Gibb
Duas resenhas: Pa Salieu e Duma (2020)
Duas resenhas: Nadine Shah e Duval Timothy (2020)

Duas resenhas: UKAEA e Lyra Pramuk (2020)
Resenha: Paul McCartney - McCartney III
Duas resenhas: Urlaub in Polen e Mica Levi

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!

Estou no Twitter e assine o canal no YouTube. Compre livros na Amazon e fortaleça o trabalho do blog!


The Dirty Nil - "Fuck Art"

Do Canadá, o Dirty Nil foi fundado em 2006 e tem como base aquele pop rock de bastante sucesso naquela época feito pelo Simple Plan, por exemplo. Terceiro álbum de estúdio da carreira, "Fuck Art" não apresenta nada de novo no estilo, nem tem um material consistente a ponto de ser lembrado no futuro. Para quem gosta de músicas bobinhas e simples, o disco vai funcionar muito bem. Se não gosta, como é o caso por aqui, é apenas um disco que pode ser deixado para o final em qualquer lista desse primeiro semestre.

Avaliação: regular

Continue no blog: