Mais do blog:

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Resenha: Mombojó – Alexandre


Consolidado no cenário nacional, o Mombojó está na estrada há mais de dez anos e já lançou quatro discos de estúdio. Ao manter-se na estrada, a banda pernambucana mostra que é possível fazer um som diferente do mainstream e ser aceito por pessoas de faixas etárias diferentes. Alexandre chega para mostrar que eles estão maduros para acrescentar coisas novas em seu estilo.

O início de "Rebuliço" coloca dois mundos opostos no mesmo lado: a influência da música pernambucana com o eletrônico à Radiohead. Se era para mostrar a que veio, funcionou porque é uma boa faixa para apresentar o que virá pela frente. Outro destaque vai para a boa e inspirada letra.

No embalo da primeira canção, "Me Encantei por Rosário" mistura ainda mais, fazendo uma deliciosa salada sonora. Aqui já é possível ver o crescimento deles como músicos – sabemos que é bem difícil colocar tantos elementos de uma vez sem soar estranho, mas eles conseguiram fazer isso muito bem. Terceira faixa, “Hello” é mezzo instrumental, mezzo cantada, bem diferente de "Summer Long", uma quase bossa nova mais manguebeat com influência do rock alternativo atual com a ótima participação de Laetitia Sadier.

O interlúdio "Ping Pong Beat" antecipa a que mais se aproxima do passado do Mombojó: "Diz o Leão", que tem a belíssima participação da cantora Céu nos vocais de apoio. Outra canção que impressiona por mostrar como eles evoluíram em dez anos. Completamente fora do que foi feito até aqui, "Hortelã" é acústica e simples. É bela por trazer lembranças e por ser comovente ser piegas – é vida na medida certa.

Voltando ao alternativo, “Dance” soa mais intimista do que outras, mas cresce por não ser mais do mesmo e colocar o ouvinte para prestar atenção em cada detalhe da melodia. Canção que dá nome ao trabalho, “Alexandre” é outro interlúdio, mas este antecede às duas últimas faixas. A instrumental e agitada "Cuidado, Perigo!" coloca o Mombojó em outro patamar, enquanto “Pro Sol” é o mais próximo que temos de uma canção pop, um bom encerramento.

Já passou da hora do Mombojó ultrapassar a barreira do underground e avançar mais nas rádios brasileiras. Claro, Alexandre não seria o trabalho ideal para isso, mas as pessoas precisam perceber que nem todo disco precisa ser fácil acesso para agradar. Ao contrário, pensar e refletir sobre esse ponto fora da curva também são boas opções. E que ponto fora da curva! Um dos bons trabalhos do ano no Brasil.

Tracklist:

1 - "Rebuliço"
2 - "Me Encantei por Rosário"
3 - "Hello"
4 - "Summer Long" (com Laetitia Sadier)
5 - "Ping Pong Beat"
6 - "Diz o Leão" (com Céu)
7 - "Hortelã"
8 - "Dance"
9 - "Alexandre"
10 - "Cuidado, Perigo!"
11 - "Pro Sol"

Nota: 4,5/5



Veja também:
Resenha: Manic Street Preachers – Futurology
4 em 1: Blondie, Clap Your Hands Say Yeah, California Breed e The Roots
Resenha: Klaxons – Love Frequency
Resenha: Linkin Park – The Hunting Party
Resenha: Mastodon – Once More ‘Round The Sun
4 em 1: A Sunny Day In Glasgow, Brian Eno & Karl Hyde, The Horrors e Sebastian Bach