No YouTube

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Resenha: Mike and The Melvins – Three Men and A Baby


Baixista e banda alternativa se juntaram há 16 anos, mas trabalho só foi liberado no início do mês

Conhecido por seu trabalho na banda noise Godheadsilo, Mike Kunka se juntou ao Melvins para gravar um disco em 1999 – a reunião aconteceu durante o histórico período em que a banda lançou três discos em dez meses pela Sub Pop. Engavetado durante 16 anos, Three Men and A Baby ganhou o mundo neste ano pela mesma gravadora.

A ótima "Chicken 'n' Dump" abre o disco da maneira que todos esperavam: forte, pesada e uma mistura exata dos dois mundos que se encontraram. Ainda mais cheia de guitarras altas, "Limited Teeth" tem de tudo um pouco – do noise ao heavy metal. O riff ensurdecedor e maluco de "Bummer Conversation" transforma a faixa em algo indescritível para colocá-la em algum gênero.

"Annalisa" começa com uma ótima linha de baixo, que logo é acompanhada pela guitarra. Os vocais aparecem para dar o peso ainda mais experimental, algo já normal depois das três primeiras canções. E "A Dead Pile of Worthless Junk" pode soar esquisita até mesmo para quem gosta de música esquisita por parecer um tipo de poesia desconstruída e refeita de outro jeito.

Bem próximo do grunge, pelo estilo e pegada, "Read the Label (It's Chili)" pinta como a faixa mais comercial de todo disco, mesmo tendo um vocal distorcido e cheio de efeitos, enquanto "Dead Canaries" poderia ter sido gravada pelo Faith No More que ninguém estranharia. E "Pound the Giants" tem força suficiente para atrair qualquer fã de heavy metal a dar uma chance ao disco.

Sinceramente, não entendi a necessidade de colocar uma versão ao vivo de "A Friend in Need Is a Friend You Don't Need" no trabalho. Acabou sendo o momento mais fraco, não superado pela igualmente ruim "Lifestyle Hammer". Beirando o tipo de música feito pelo Swans, "Gravel" não empolga muito – uma pena que essa parte do álbum seja tão abaixo do resto. Por fim, a estranha e legal "Art School Fight Song" encerra o disco de maneira a não deixa dúvidas: se tivesse sido lançado em 1999, seria icônico. Hoje, é apenas um bom trabalho.

Tracklist:

1 - "Chicken 'n' Dump"
2 - "Limited Teeth"
3 - "Bummer Conversation"
4 - "Annalisa"
5 - "A Dead Pile of Worthless Junk"
6 - "Read the Label (It's Chili)"
7 - "Dead Canaries"
8 - "Pound the Giants"
9 - "A Friend in Need Is a Friend You Don't Need"
10 - "Lifestyle Hammer"
11 - "Gravel"
12 - "Art School Fight Song"

Nota: 3/5



Veja também:
Resenha: Weezer – Weezer (The White Album)
Resenha: The Last Shadow Puppets – Everything You've Come to Expect
Resenha: Charles Bradley – Changes
Resenha: Autoramas – O Futuro dos Autoramas
Resenha: Bob Mould – Patch the Sky
Resenha: Rokia Traoré – Né So
Resenha: Céu – Tropix

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais! Isso ajuda pra caramba o blog a crescer e ter a chance de produzir mais coisas bacanas.