terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Resenha: Sharon Jones and The Dap-Kings – Give the People What They Want


Baseada na ideia de James Brown em formar uma banda que pudesse acompanhá-lo durante gravações e turnês, Sharon Jones convidou alguns dos melhores instrumentistas disponíveis e juntou todos eles no Dap Kings, um ótimo grupo que ficou conhecido como banda de apoio de Amy Winehouse em Back to Black. Mas 2013 foi um ano duro para cantora, que enfrentou um câncer no canal bilar, parte do corpo que faz a conexão entre o fígado e a vesícula biliar ao duodeno.

Ainda durante o último ano, Jones viu o problema evoluir para um tumor no pâncreas, mas isso não a desanimou e ela tratou de anunciar turnê e disco novo para 2014. E foi nesse clima entre um tratamento e outro que Give the People What They Want foi feito.

O álbum começa com a sombria "Retreat!", com um pé na música negra americana de raiz e uma boa abertura. Aqui vemos que a cantora está em ótima forma, e isso segue na animada e com tons religiosos "Stranger to My Happiness" – aqui o improviso toma conta na segunda metade da faixa.

"We Get Along", tranquilamente, é uma das melhores músicas lançadas neste primeiro semestre, e é um soul de alto nível em que a banda consegue equilibrar muito bem com a voz sem perder o brilho. "You'll Be Lonely" também tem uma parte instrumental muito boa e dá para sentir Jones sofrendo ao cantar, mas ela é um tantinho inferior às outras.

O funk "Now I See" convida o ouvinte a se mexer na cadeira enquanto ouve, diferente de "Making Up and Breaking Up (And Making Up and Breaking Up Over Again)", que retoma a lentidão com uma categoria que está ficando cada vez mais rara. O clima de R&B dos anos 1960 é total em "Get Up and Get Out", com os vocais de apoio e principal se casando muito bem.

"Long Time, Wrong Time" marca a retomada do soul, mas essa não tem nada que não tenha sido mostrado antes no próprio trabalho. Uma canção muito boa é a animada e com ares políticos "People Don't Get What They Deserve", que tem uma força absurda. A romântica, quase trágica, "Slow Down, Love" encerra o disco marcando território.

Sharon Jones ainda se recupera do câncer que combateu no último ano, mas pôde mostrar no bom Give the People What They Want que ainda está aí e segue como uma das principais divulgadoras do soul, do R&B e na raiz desses ritmos. Que siga assim.

Tracklist:

1 - "Retreat!"
2 - "Stranger to My Happiness"
3 - "We Get Along"
4 - "You'll Be Lonely"
5 - "Now I See"
6 - "Making Up and Breaking Up"
7 - "Get Up and Get Out"
8 - "Long Time, Wrong Time"
9 - "People Don't Get What They Deserve"
10 - "Slow Down Love"

Nota: 3,5/5



Veja também:
4 em 1: Iced Earth, Rosanne Cash, Railroad Earth e Patterns
Resenha: Dum Dum Girls – Too True
Resenha: Warpaint – Warpaint
Resenha: Stephen Malkmus and the Jicks – Wig Out at Jagbags
Resenha: Bruce Springesteen – High Hopes
Resenha: Mogwai – Rave Tapes