quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Resenha: Mogwai – Rave Tapes


Um disco instrumental é sempre muito interessante de ouvir porque exige outro tipo de concentração. Ao invés de analisar a combinação música e letra, a cabeça fica completamente livre do segundo, tendo apenas foco na melodia e todos os seus componentes.

O Mogwai é dessas bandas que dificilmente mudará seu patamar nos próximos anos, mesmo fazendo Mogwai Young Team, por exemplo, um dos grandes álbuns dos anos 1990 – por coincidência, é a estreia da banda em estúdio. Desde então, o grupo raramente erra a mão em um trabalho. Claro, há um deslize aqui ou ali, mas nada que comprometa os quase 20 anos de carreira. Ainda no final de 2013, Rave Tapes já estava disponível nos melhores sites piratas do ramo e foi uma boa para iniciar bem o novo ano.

O início é muito promissor com a delicada e chamativa “Heard About You Last Night”. A forma como a melodia é tratada e como o espaço é bem preenchido com os metais e o piano é uma bela lição para qualquer banda que deseja se aventurar pelo estilo. Quase uma continuação da anterior, “Simon Ferocious” usa mais o recurso do sintetizador do que a anterior.

Terceira canção, "Remurdered" é semelhante, mas é mais sombria do que as duas primeiras. Se “Hexon Bogon” coloca as guitarras na linha de frente, “Repelish” traz a única faixa que não é completamente instrumental – há um depoimento duro sobre coisas do cotidiano e a música. “Master Card” vem na sequência e é a última faixa antes do encerramento com menos de quatro minutos – outra bela peça. A partir de “Deesh” podemos ver um dos defeitos que teimam em não sumir em discos instrumentais: a duração das canções. A própria “Deesh” poderia ter 30 segundo a menos, por exemplo.

Em “Blues Hour” não há nada disso, e ela tem a duração necessária para ser a melhor de todo Rave Tapes, além de colocar em perspectiva todos os recursos já falados anteriormente. A tristeza não poderia ser deixada de lado em um disco denso como esse, e “No Medicine for Regret” retrata bem isso em mais uma faixa instrumental de um peso absurdo. Por fim, “The Lord is Out of Control” encerra o de maneira magistral.

Mesmo com algum detalhe ou outro que não agrada, Rave Tapes é um belíssimo registro do Mogwai, talvez o melhor desde o primeiro álbum da banda. Direto, sem rodeios e com cada canção se completando entre si, o trabalho da banda escocesa merece chegar a mais ouvidos neste novo ano. Espero que isso aconteça o mais breve possível.

Tracklist:

1 - "Heard About You Last Night" 
2 - "Simon Ferocious"        
3 - "Remurdered"    
4 - "Hexon Bogon"   
5 - "Repelish"         
6 - "Master Card"    
7 - "Deesh" 
8 - "Blues Hour"      
9 - "No Medicine for Regret"        
10 - "The Lord is Out of Control"

Nota: 4/5



Veja também:
Resenha: Pixies – EP2
Livro: Mick Jagger, de Philip Norman
Resenha: Cage The Elephant – Melophobia
Resenha: Jake Bugg - Shangri-La
4 em 1: Waxahatchee, Jessie J, Janelle Monáe e Morcheeba