No YouTube

sábado, 18 de novembro de 2017

Angus Young e sobre perder dois irmãos

Foto: Rylan Perry/Facebook/AC/DC

Guitarrista do AC/DC viu George e Malcolm morrerem em menos de um mês

A morte de Malcolm Young neste sábado (18) coloca, definitivamente, ponto final na vida de quem colocou o AC/DC no topo do mundo. Rígido, irritado e cheio de si, o guitarrista era tudo isso para deixar o irmão mais novo, Angus, apenas vestir seu uniforme, botar para quebrar e ser o centro das atenções no palco. Malcolm só queria – às vezes, de forma exagerada – que tudo corresse bem.

Falando em Angus, aos 62 anos, será o único Young que começou no AC/DC a continuar na banda. Pouco menos de um mês atrás, George, irmão mais velho, também músico e produtor dos primeiros discos da banda, também morreu. Em menos de 30 dias, dois irmãos fundamentais em sua carreira musical morreram.

Veja também:
Como quatro empresas controlam o que você ouve
'Tiozinhos' salvam Rock in Rio do marasmo completo
Rock in Rio é micareta maquiada de festival de música
O novo círculo vicioso na música
Especulações sobre Lee Lifeson Project só mostram tamanho do Rush
Morte de Chester Bennington é relembrar como Linkin Park fez parte da minha vida


Mesmo sabendo que a idade e as condições de saúde não eram das melhores em ambos os casos, mas, ainda assim, eram seus irmãos. O que colocou você na linha, o que abriu caminho para você brilhar. O outro, já um músico experiente, ensinou tudo que sabia sobre a indústria musical e construiu um atalho para uma sonoridade única. Os pilares do AC/DC estão na história.

Imagino um Angus cansado de lidar com coisas que ele nunca precisou fazer. Era só subir no palco e pronto. Agora tem ensaios, entrevistas, turnês e tudo mais. Como Malcolm deve ter feito falta nesses mais de três anos ausente – a demência fez o guitarrista precisar reaprender os sucessos do AC/DC para finalizar a última turnê na qual fez parte, aquela que passou pelo Brasil.

Mais do que o negócio AC/DC – a banda movimenta centenas de milhões de dólares, não podemos esquecer disso –, é hora de pensar no homem Angus. O que perdeu dois irmãos e, agora, precisa comandar um império construído com suor e sangue dos Young. É hora de apoiá-lo, seja qual for a decisão para o futuro. Só quem já perdeu gente querida sabe que o dia da morte não é o pior, mas o futuro é.



Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!