No YouTube

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Tom Petty, George Harrison e os ukuleles


O líder dos Heartbreakers e eterno membro do Traveling Wilburys morreu aos 66 anos

Morto nesta madrugada após sofrer um ataque cardíaco pouco depois do encerramento da turnê de 40 anos do primeiro disco de estúdio, Tom Petty foi um dos grandes nomes da música nos Estados Unidos surgido no fim dos anos 1970. Ao lado dos Heartbreakers, ele conseguiu unir a música de raiz do país com ares de modernidade ao enchê-la de guitarras e misturar tudo – do country ao blues. Foram mais de 50 milhões de discos vendidos em 40 anos de carreira.

Entre o fim dos anos 1980 e início da década seguinte, muitos dos veteranos do rock eram considerados superados por não fazerem o mesmo sucesso de antes. Existia uma clara divisão entre os novos e velhos. Vivia-se a era dos sintetizadores e da consolidação de gêneros que fariam sucesso nos anos 1990. Certo dia, um punhado desses veteranos decidiram criar uma banda. No caso, a "bandinha" era formada por Nelson Wilbury (George Harrison), Otis Wilbury (Jeff Lynne), Charlie T. Wilbury Jr (Tom Petty), Lefty Wilbury (Roy Orbison) e Lucky Wilbury (Bob Dylan). Era o Traveling Wilburys (clique aqui e leia sobre a história do primeiro disco).

Veja também:
Assista show do Tom Petty and the Heartbreakers de 1978
Resenha: Tom Petty and the Heartbreakers - Hypnotic Eye


Ficar algumas horas por dia em estúdio fortaleceu os laços desses veteranos que, mesmo sendo quem eram, estavam perdendo espaço. No documentário George Harrison: Living in the Material World, dirigido por Martin Scorsese, Tom Petty conta uma ótima história envolvendo ele e o ex-beatle.

"Certo dia, ele (Harrison) chegou com dois ukuleles e me deu um. 'Você precisa tocar isso, é muito bom!'. Eu não tinha a menor ideia de como tocá-lo. 'Ah, não tem problema, eu te mostro'. Então, nós ficamos o resto do dia tocando ukulele... Andando pelo jardim e tocando, e ele me mostrou como se fazia cada nota".

"Quando ele estava indo, chegou perto do carro e disse: 'vou deixar alguns ukuleles aqui'. Ele já tinha me dado um, disse a ele que não precisava de outro. 'Não, nós precisamos de mais!'. Ele abriu a traseira do carro e tinha um monte deles ali. E acho que ele deixou uns quatro na minha casa. 'Você nunca sabe quando precisará de um'.

Esse foi um dos raros momentos da carreira de Petty em que ele esteve separado dos Heartbreakers – em 1989, ele havia lançado Full Moon Fever, primeiro sem sua famosa banda de apoio, com ajuda dos futuros membros do Traveling Wilburys. Dois anos depois, ele voltaria com eles em Into the Great Wide Open. "Eu não queria deixar o Heartbreakers para trás", disse Petty a 'Rolling Stone', na época do lançamento do álbum. "Porque achei que eles eram a melhor banda que havia conhecido e tinha muita coisa para fazer com eles". E eles ficaram juntos até o último domingo.

Vejam a espetacular apresentação do grupo no Super Bowl 42 em 2008:



Saiba como ajudar o blog a continuar existindo

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e indique o blog aos amigos!