No YouTube

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Não precisei assistir ao VMA para saber exatamente como foi


Em alguns anos de vida do blog, cobri o Video Music Awards (VMA) com bastante afinco, principalmente no Twitter. Mas resolvi deixar de lado neste ano por uma boa noite de sono e não me arrependi nenhum pouco, porque é possível saber o que se passou sem assistir ao programa na íntegra.

Primeiro, com a quantidade de lugares fazendo as chamadas ‘lives’, é possível acompanhar qualquer coisa pelas redes sociais sem ligar a TV – também é possível comentar sem assistir, mas é assunto para outro texto em outro lugar.

Usando um termo atual, certeza que muita gente ‘lacrou’ (que substituiu ‘sambou na cara da sociedade’, que substituiu ‘está com tudo e não dá prosa’), muita gente fez apresentações polêmicas, muita gente se vestiu da maneira estranha só para chamar atenção, muita gente foi mal, muita gente foi bem, a maioria usou playback, o Kanye West fez alguma coisa ou disse alguma coisa que gerou alguma polêmica, muitos fãs os defenderam, assim como foi condenado por muitos. E tivemos muitos GIFs com vários momentos ótimos, ruins e péssimos. E os memes, porque tudo vira meme hoje.

Não precisei abrir a lista de vencedores para saber que Taylor Swift ganhou algumas estatuetas (claro que isso está estampado nas chamadas da premiação). Ela era a barbada dessa edição, assim como será de muitas outras. Também não precisei ver para saber que Miley Cyrus fez uma apresentação, digamos, chamativa – ela lançou disco novo, gratuito, logo após. Enfim, coisas já esperadas por muitos e que viraram todas as coisas citadas no parágrafo anterior.

Tudo isso foi escrito para falar que o VMA não é mais para mim. Não deixarei de acompanhar essa geração, pois acredito que tenho que ter um mínimo de contato com o que estão fazendo para tentar entender o momento musical de hoje. Mas essa premiação, exatamente com os mesmos moldes de alguns anos (só mudam os indicados e as apresentações) não faz o meu estilo, nem me fará perder algumas horas de sono.

Boa sorte para quem assistirá VMA, EMA ou qualquer outra sigla que entregue algum prêmio musical nos próximos anos. E espero que vocês consigam compensar bem a noite de sono perdida.