quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Melhores do ano – 2011

Sinceramente, não imaginei que um diria teria um blog sobre música e que faria minha primeira lista de melhores discos do ano. E 2011 foi um ano muito bom, pois saíram discos ótimos por todos os lados.

Então, lá vai a lista:

10 – Angles, The Strokes

A volta do grupo após cinco anos se deu por Angles, que mostra que a banda cresceu e amadureceu musicalmente. Músicas como "Machu Picchu", "Under Cover of Darkness" e "Life Is Simple in the Moonlight” são exemplos disso.




9 – Torches, Foster The People

Talvez o Foster The People seja o líder do atual cenário indie da musica mundial. E a banda faz um bonito papel em sua estreia com Torches. E eles estão tão em alta, que várias de suas músicas ganharam novas versões.




8 - What Did You Expect From The Vaccines, The Vaccines

Outra banda que fez sua estreia neste ano e ganhou o coração de muitas pessoas, inclusive o meu. Consistente, bem produzido e cheio de boas músicas: essa é a estreia do Vaccines.




7 – El Camino, Black Keys

Lançado há poucas semanas, o novo disco do Black Keys fez muitas listas mudarem, inclusive a minha. Mais uma vez, o duo formado por Dan Auerbach e Patrick Carney arrebentou em um álbum.







6 – Suck It and See, Arctic Monkeys

Surgido em 2002, o Arctic Monkeys passou pela maldição do segundo disco, pela mudança de sonoridade no terceiro e se firmou como uma das melhores bandas da década com Suck It and See.




5 – Wasting Light, Foo Fighters

Feito na garagem da casa de Dave Grohl e de maneira analógica, o álbum colocou o Foo Fighters com uma das maiores bandas da história da música. Se Wasting Light não foi o melhor disco do ano, 2011 foi o ano da banda.




4 - Blood Pressures, The Kills

O duo formado por Alison "VV" Mosshart e por Jamie "Hotel" Hince talvez tenha feito o melhor trabalho da dupla em Blood Pressures. Consistente e espetacular, o disco pode marcar um novo caminho para a banda.




3 – Let England Shake, PJ Harvey

Doce, bem feito e sensacional. Palavras tão bonitas não serão suficientes para descrever o que PJ Harvey fez em Let England Shake para ele ser um dos melhores lançamentos do ano.




2 – Noel Gallagher's High Flying Birds, Noel Gallagher

Noel deixou seu irmão Liam e o resto do Oasis no Beady Eye e focou em sua carreira solo. Com letras brilhantes e bons arranjos, o trabalho solo do guitarrista mostra que ele é um dos melhores compositores de sua geração.




1 - The King Is Dead, The Decemberists

O sexto álbum de estúdio da banda é folk, mas é bem moderno. Lembra o interior, mas é feito para ser tocado nas grandes cidades. É de uma banda desconhecida, mas que fez um excelente trabalho. Assim como o Arcade Fire teve que fazer o fenomenal The Suburbs para ter seu trabalho reconhecido no mainstream em 2010, o Decemberists fez um disco excelente em The King Is Dead e deve ter seu trabalho colocado em outro patamar a partir deste momento.




Ficaram de fora do top-10, mas vale a lembrança:

11 – Radiohead – The King of Limbs
12 - Wilco - The Whole Love
13 – Alex Turner – Submarine
14 – Tom Waits - Bad As Me
15 – The Rapture - In The Grace of Your Love
16 – Bombay Bicycle Club - A Different Kind of Fix
17 – The Kooks - Junk Of The Heart
18 – Toro Y Moi - Underneath The Pine
19 – Patti Smith - Outside Society
20 – Chickenfoot – III

Artista do ano: Foo Fighters
Pior artista do ano: Coldplay
Pior disco do ano: Mylo Xyloto, do Coldplay
Lembrança: Grunge e Red Hot Chili Peppers, que comemoraram 20 anos de álbuns históricos.
Melhor show do ano: Sonic Youth, no SWU.
Pior show do ano: Red Hot Chili Peppers, na Arena Anhembi.